fbpx

Facilite sua vida, deixe a máquina fazer o trabalho por você

A Beluga, uma das startups habitantes do inovaBra habitat , auxilia grandes empresas a resolver seus problemas usando dados – e dentro disso a melhor ferramenta é a Inteligência Artificial. O trabalho é fazer as empresas avançarem nos sistemas digitais, permitindo que a máquina avalie as expectativas e, depois, a Inteligência Artificial tome as decisões. 

 

“Nossa proposta é democratizar o acesso às decisões tomadas com base em dados. Por exemplo, nossos primeiros clientes tinham que melhorar a previsão de pedidos. Então criamos um sistema que se integra em todas as bases do cliente, fazendo automaticamente uma previsão diária, mensal e semestral muito superior a que eles tinham”, explica Pedro Jahara, CEO da startup, que existe há dois anos e conta atualmente com nove funcionários.

 

Mas como tomar uma decisão baseada em dados? Segundo Jahara, as empresas começam fazendo gráficos e tabelas. “O gráfico te mostra a informação, mas cabe ao empresário tomar uma decisão”, afirma.

 

O segundo passo é, em vez de deixar o usuário interpretar o gráfico, permitir que a Inteligência Artificial o faça. A partir daí, o usuário vai ver direto o resultado daquela avaliação – e com base nela toma a decisão final.

O terceiro passo seria permitir que a Inteligência Artificial tomasse a decisão final. Na avaliação de Jahara, a maioria das empresas ainda está na etapa de avaliação de gráficos. “Poucos clientes estão no último patamar, mas é aí que queremos ajudá-los a chegar. Estamos trabalhando para fazê-los avançar para o segundo modelo e depois vamos para o terceiro, em que a Inteligência Artificial vai tomar as decisões baseada em dados.”

 

Para convencer os clientes, a startup faz um plano de negócios. “Uma das empresas que atendemos tinha problemas quando a previsão era quebrada por categoria de produto, o que dificultava a atuação do time de vendas. Isso gerava um custo altíssimo de estoque, pois comprava-se em excesso. Mostramos, por meio da nossa tecnologia, dos nossos algoritmos, qual poderia ser o estoque dele e o quanto ele teria economizado”, relata.

 

Dentro do inovaBra habitat, a startup já está fazendo diversas conexões com outras startups e com corporações. Uma delas é o próprio Bradesco, para quem a Beluga já apresentou uma prova de conceito que utiliza inteligência artificial para otimizar e melhorar processos internos do banco.

 

A inteligência artificial, tecnologia usada pela Beluga, é um dos eixos do inovaBra habitat, espaço de coinovação do Bradesco. Os demais pilares tecnológicos do local são API, blockchain, computação imersiva, internet das coisas (IoT) e big data.

 

 

Deixe uma resposta