fbpx

Setor de cartão de crédito propõe fim do parcelamento sem juros

blank

O setor de cartões de crédito apresentou ao Banco Central (BC), no início de janeiro, proposta para acabar com o parcelamento sem juros. Em seu lugar, as empresas ofereceriam um modelo de crediário ao consumidor, ao mesmo tempo em que as bandeiras reduziriam o prazo de pagamento aos lojistas.

As informações são do jornal Valor Econômico, que consultou duas fontes envolvidas na proposta.

Segundo as bandeiras, clientes precisariam fazer uma espécie de crediário – diferente dos modelos usados em lojas de varejo – para parcelar compras no cartão. Haveria um limite, concedido pela empresa emissora, para usar em qualquer loja.

Com isso, o banco pagaria o varejista em até cinco dias após a transação, assumindo os riscos financeiros. Hoje, o lojista recebe a primeira parcela após 30 dias.

Um executivo escutado pelo Valor afirmou, porém, que viabilizar a mudança não será fácil – em grande parte, por conta do apelo que o parcelamento sem juros tem para os consumidores. Portanto, a tarefa, segundo ele, exigirá uma transição lenta.

Outra fonte, ligada ao varejo, garantiu que as grandes cadeias lojistas estão interessadas em avançar com a proposta e já se sentaram com o Banco Central para discutir ajustes e melhorias ao projeto inicial. Um dos players chamados foi o Instituto para o Desenvolvimento do Varejo (IDV), que tem, entre seus associados, nomes como Via Varejo, Walmart e Magazine Luiza.

O Banco Central afirmou, em nota, que não vai comentar a possível mudança no parcelamento.